Bateria: Fatos e Mitos

 

Bateria: Fatos e Mitos

 

Quando fui comprar meu iPhone 4, o vendedor me disse: ao chegar em casa deixe conectado ao carregador de parede por 24 horas. Na verdade quase toda vez que comprei algum eletro-eletrônico com bateria recarregável nos últimos 20 anos, escutei a mesma recomendação. Ora, a tecnologia evoluiu tanto nestas duas décadas, por que esta recomendação permanece a mesma?

Depois de pesquisar um pouco, descobri que na maioria dos casos a precaução não é verossímil. Carregar 24 horas antes do primeiro uso visava proteger baterias de tecnologia mais antiga — como as de Níquel-Cádmio (NiCd) — do temido “efeito memória” (baterias  seguravam cada vez menos carga de apesar de indicar 100%). Isto era causado por recarregar a bateria parcialmente repetidas vezes sem deixá-lá esgotar. Existem outros motivos e comportamentos similares ao efeito-memória, porém não são o objetivo deste texto. Ao invés a intenção é esclarecer os procedimentos corretos de uso da bateria e “detonar” alguns mitos.

 

OS FATOS…

 

Fato 1: por projeto, segundo a Apple, as baterias do iPhone/iPod/iPad agüentam 400 ciclos de carga/descarga antes de perderem 20% de sua capacidade de carga. Para se entender isso é necessário compreender como se conta um ciclo de carga e descarga da bateria.

Um ciclo significa consumir 100% da carga da bateria e depois recarregá-la totalmente. Um ciclo na verdade pode se estender por vários dias dependendo de como o aparelho é usado. Por exemplo: Joaquim tem um iPhone. Ele tira do carregador de manhã e vai trabalhar. Usa o telefone, SMS, escuta algumas músicas e chega de volta em casa no fim do dia com a bateria em 50%. Ele recoloca no carregador. No dia seguinte ele faz a mesma coisa. No uso diário do Joaquim, portanto, ele precisou de dois dias para completar um único ciclo (50% recarga + 50% recarga).

Por outro lado, Paulo tem o mesmo aparelho. Ele é um power-user sério, daqueles que tem um calo em forma de maçã mordida na palma da mão. Ele tira o iPhone do carregador de manhã exatamente como Joaquim. Porém, ele o usa para telefonar, SMS, ouvir musicas, assistir vídeos no youtube, twittar, MSN, acessar o seu micro em casa via Remote Desktop, publicar fotos e vídeos em seu blog. Resultado: às 15:00 seu aparelho vai pro carregador com 10% de carga. A bateria recarrega totalmente e às 18 ele tira do carregador e chega em casa com 90% da carga. Ele recoloca no carregador. Neste dia, Paulo completou um ciclo inteiro.

Agora notem bem o que a Apple oferece em termos de vida útil da bateria: 400 ciclos antes de perder 20% da capacidade de carga. Isto é: se uma pessoa tem um iPhone cuja bateria dura 36 horas, depois de 400 ciclos, ela passará a durar 29/30 horas. Em termos de um aparelho que pode ter dois anos de idade (como seria o do Joaquim) ainda é uma boa duração.

Fato 2: Baterias de íons de lítio são eficazes enquanto os íons se movimentarem com certa freqüência — ou seja — enquanto está sendo usada. Isto significa que o uso normal de um iPhone já se enquadra na melhor forma de usar sua bateria — já que o tempo em que o aparelho fica longe do carregador é proporcionalmente razoável. Nocivo mesmo é se o aparelho  não for usado (engavetado) ou estar sempre conectado no carregador.

Uma providência que a Apple indica é que ao menos uma vez por mês o aparelho seja totalmente descarregado e recarregado – ou seja, percorra um ciclo inteiro.
O mesmo se aplica ao MacBook. Se o Notebook está sempre conectado à sua fonte, pelo menos uma vez por mês use-o na bateria até que estase esgote e a recarregue a 100% novamente.

Fato 3: As baterias de íons de lítio são sensíveis à temperatura. Na verdade o calor é o maior inimigo da bateria do iPhone. A faixa térmica de operação ideal do iPhone é relativamente pequena: de 0°C a 35°C. Note que o limite superior é baixo em termos do nosso pais tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza. Muitas vezes já tivemos aqueles dias de calor absurdo de ter 37°C às 15:00. Nestes dias é uma boa idéia evitar o sol direto — pelo seu bem e o do iPhone também.

Se exposta por períodos prolongados de tempo (leia-se algumas horas) à altos níveis de calor, a bateria perde capacidade de aramzenamento. E ao contrário da exposição ao frio intenso, esta perda é irreversível.

Daí se pode tirar três conclusões:

  1. Esquecer o iPhone dentro do carro no sol é um “não-não”. Internamente carros ao sol podem chegar nos 70°C.
  2. Deixar o aparelho exposto ao sol tampouco é uma boa idéia pela mesma razão acima.
  3. Se você carrega o iPhone no bolso da calça, repense o hábito. Sua própria temperatura corporal (36ºC) pode deixar o iPhone perto demais do limite de 35°C.

Na verdade as pessoas tendem a se preocupar se o iPhone está sendo carregado corretamente ou incorretamente. Porém deveriam se se preocupar se ele está aquecendo em demasia — porque isto sim provoca danos maiores ao aparelho.

Tome um exemplo de um hábito extremamente nocivo: o de se fazer o download de arquivos imensos usando-se o wifi ou a conexão 3G do iPhone. Já notaram como o iPhone se aquece quando conectado por muito tempo? Se esse calor todo não se dissipar eficientemente, pode se espalhar pelo aparelho, aquecendo a bateria e reduzindo sua vida útil. Sem falar que pode — por tabela — queimar o chip wifi do iPhone.

A verdade é que o iPhone não foi feito para atuar como um Modem por períodos longos de tempo. É um instrumento de conveniência, e não deve ser encarado como a única forma de se conectar à internet do usuário.

Ainda sobre temperatura: carregar a bateria é um processo exotérmico — ou seja, libera calor. Por este motivo é uma boa precaução remover qualquer capa protetora do iPhone durante a recarga. É importante deixar o aparelho “respirar” e dissipar o calor eficientemente.

Fato 4: Há diversos recursos no iPhone que podem ser desativados para economizar bateria. Os principais vilões do consumo de bateria do iPhone são relacionados à telecom do aparelho. 3G, wifi, Bluetooth, GPS são os piores. Em segundo lugar estão os serviços que fazem uso de tais recursos: notificações, push, serviço de localização.

Uma providência que costumo indicar em primeiro lugar a qualquer um que queira reduzir o consumo de bateria é desativar o 3G. Devido à baixa qualidade e inconsistência do sinal de nossas operadoras o 3G está sempre consumindo mais do que deveria. Isto inclusive afeta no sinal de voz do aparelho. Pode fazer um teste: quando estiver em uma área aonde o sinal é fraco (2 ou 3 barras), desative o 3G. Você verá o sinal subir para 4 ou 5 barras. Sem falar no consumo que cairá bastante.

Notem que estou dizendo para desativar o 3G, e não desativar os dados do celular (embora isso reduza mais ainda o consumo). Edge — ou 2G — é mais que suficiente para que serviços de localização, notificações e push continuem funcionando

Desativar wifi também economiza bateria porque enquanto ligado, ele acaba sempre procurando e detectando redes wifi ao seu redor. Mesmo que não se conecte, esta monitoração consome bateria. E o mesmo vale para o Bluetooth.

Outro recurso que pode ajudar a economizar a bateria é desativar a escolha automática de operadora quando se está usando o aparelho em sua cidade natal. Quando o aparelho perde sinal, ao invés de procurar todas operadoras disponíveis, tentará reconexão diretamente com a operadora escolhida.

Adicionalmente recursos que exigem mais do processador também podem ser evitados para reduzir o consumo de bateria. Um exemplo é a função de equalização do iPod. Usar o equalizador aumenta o uso do processador do iParelho e aumenta o consumo. Da mesma forma reduzir o brilho da tela  ajuda, sobretudo durante jogos que impedem que o aparelho entre em standby.

Fato 5: restaurar ou atualizar o sistema operacional do iPhone pode impactar a vida útil do iPhone/iPad/iPod. Na verdade o impacto pode ser positivo ou negativo; e está ligado a dois aspectos:

  1. Novos Recursos do iPhone: se o iOS tem algum recurso novo que exija mais do processador, ou que fará com que o usuário use mais o aparelho, naturalmente o consumo aumentará. Por exemplo: o iOS 4 trouxe o compartilhamento de internet via wifi (personal hotspot). É um recurso pesado. Quem queria esse recurso e usa com freqüência naturalmente teve o consumo de bateria aumentado. Porém vale dizer que a Apple sempre tenta reduzir o consumo da bateria a cada atualização. Então na teoria (em termos de consumo) é sempre melhor estar na última versão.
  2. Restauro do backup das configurações e dados do iPhone: está relacionado ao sistema de backup que o iTunes faz toda vez que o iParelho é conectado em um microcomputador. O backup do iTunes guarda incrementalmente todas as configurações e conteúdo do iPhone para que o mesmo seja retornado às mesma condições anteriores à um restauro ou atualização. Por exemplo: após uma atualização o aparelho volta exatamente como estava antes, só que em uma outra versão do iOS.
    E é aí que mora o problema: o backup na verdade é bom demais. Se havia algum problema anterior ao restauro ou atualização, este pode ser salvo no backup também. Isto é, se havia um problema de configuração de internet 3G, ou se o consumo de bateria estava alto, ao se restaurar os backups, os problemas voltam também. E em muitos casos podem até ficar piores por causa de incompatibilidade com o novo sistema operacional.
    Portanto via de regra, se você está restaurando ou atualizando para tentar corrigir um problema, não restaure o backup do iTunes. Quando lhe for perguntado, configure o iPhone como um aparelho novo.

Fato 6: a bateria do iPhone dura menos que a de outros celulares. A verdade é que dura menos sim, mas a razão principal é que usa-se mais o iPhone do que um outro celular comum. Basta prestar atenção: quantas vezes por dia você pega o iPhone na mão para usar, não importa o motivo? Tirar fotos e mandar SMS são as funções mais básicas do iPhone. Hoje fazemos muito mais com este aparelho, porque é muito mais simples de se manejar.  Com certeza muito mais que aquele velho motorola Q11 que está empoeirando  na gaveta. O iPhone é conveniente e rápido de se usar, e muitas coisas que antes eram feitas manualmente passaram a ser feitas com ajuda do iPhone. Esta mudança de hábito em si faz com que o a bateria se esgote mais rápido.

 
Quer ter uma idéia do que estou falando aqui? Veja no seu iPhone no menu ajustes>geral>uso. Olhe os itens “Uso” e “Em espera”.

“Uso” reflete o tempo total em que o aparelho foi efetivamente usado desde a ultima recarga — seja em jogos, verificando emails, ouvindo música, chamadas telefônicas e alguns recursos em segundo plano (como verificação automática de emails).

“Em espera” é o tempo em que o iPhone ficou efetivamente ligado desde sua última recarga completa — inclui o tempo de “uso” somado ao tempo em que o aparelho ficou parado, em standby.

A proporção entre os dois tempos indica o quanto o iPhone é efetivamente usado. No meu caso, a média é de cerca de 60% — isto é, “Uso” é mais da metade do tempo de “em espera”. Portanto a bateria durar pouco é natural — porque o uso do aparelho é intenso.

 

… E os Mitos:

 
Mito 1: É necessário carregar a bateria por 24 horas antes do primeiro uso?

R: Não.

As baterias do aparelhos da Apple — iPhones, iPads, iPods, MacBooks — são de tecnologia muito mais nova. As baterias de íons de lítio têm comportamento e requisitos diferentes das baterias antigas de Níquel-Cádmio. Normalmente os aparelhos são embalados com uma carga de pelo menos 40% — que é a condição ideal de armazenamento da Bateria. Ao serem retirados da embalagem, os aparelhos podem tanto ser postos em uso como serem recarregados até completar os 100% de carga.

Mito 2: É necessário descarregar a bateria por completo antes de recarregá-la?

R: Não.

Isto não era verdade nem mesmo na época das baterias de Níquel-Cádmio.  Via de regra, nenhuma bateria deve ser totalmente descarregada porque estas possuem um nível mínimo e máximo de carga aceitável. Se o nível mínimo for ultrapassado, a bateria pode não se carregar mais (no caso das de NiCd) ou levar um bom tempo até conseguir sair do nível de carga mínima e voltar a carregar normalmente (Li-íon). Nos aparelhos da Apple a bateria pode ser carregada a qualquer momento independente do nível de carga restante no aparelho. Carregar constantemente a bateria só interferirá na forma em que a sua vida útil é calculada. Recarregar a qualquer momento não aumentará e nem reduzirá sua capacidade de forma extraordinária como acontecia com as baterias Ni-Cd.

Mito 3: Deixar o aparelho conectado no recarregador de parede a noite inteira é nocivo à vida útil do aparelho?

R: Não a ponto de ser preocupante.

Por design, baterias de íons de lítio possuem circuitos de proteção que desativam a bateria em caso de superaquecimento ou sub/sobrecarga. Portanto ao se chegar ao nível aceitável de carga, a bateria desativa e não aceita mais energia. Isto acontece porque se superaquecidas ou sobrecarregadas baterias de lítio podem sofrer Avalanche Térmica (aumento contínuo de temperatura) e ruptura. Em casos extremos podem entrar em combustão — pegar fogo mesmo. Alguém lembra do recall de de quase 1.8 milhões de baterias de powerbooks e iBooks em 2006? Esta foi a razão.

Realisticamente, o procedimento correto para se carregar o iPhone durante a noite seria carregá-lo desligado. Isto evitaria o “consumo parasítico” do iPhone e os microciclos. Em suma, a bateria carrega normalmente e após a saturação, desativa. Por estar desligado, o sistema do iPhone não consome da bateria (consumo parasítico). E como não há consumo, a bateria não é reativada e ressaturada (isto é o microciclo).

Em termos mais obsessivos, o ideal não seria deixar o aparelho conectado a noite inteira, e sim desconectá-lo assim que atingir 100%. Mas como será visto mais adiante, isso fará com que a bateria não dure tanto durante o uso diário.  Portanto pode ser bem possível que o usuário tenha que reconectá-lo ao carregador de madrugada novamente para que ela acorde com carga suficiente para durar o dia inteiro. Entendam porém que esse tipo de procedimento não impacta significantemente a vida útil da bateria. Não é como se a bateria que pode durar dois anos passe a durar quatro. O resultado não compensa o incômodo do procedimento.

Pensem da seguinte forma: eu tive um Monza 85 com conta-giros. Caxias como sou, eu li o manual do carro, e lá dizia que o momento certo de se trocar as marchas era às 4500/5500 RPMs, dependendo da marcha que for usada. Embora tenha tentado seguir esta recomendação, nem sempre era possível porque o trânsito em si era caos suficiente para se lidar. E isso não melhorou nem piorou a vida útil do motor significantemente porque o motor do carro tem uma tolerância. E como um produto voltado ao consumidor, o iPhone/iPod/iPad não são diferentes.

Mito 4: Ao se guardar o iPhone/iPod/iPad por longos periodos de Tempo é melhor deixá-lo totalmente (des)carregado.

R: Também não.

Nem carregado,  nem descarregado. Ao longo do tempo toda bateria sofre uma certa descarga, mesmo sem uso. A razão de auto-descarga da bateria de íons de lítio é de aproximadamente 1% ao mês, o que apesar de baixo, ainda ocorre. Guardar uma bateria totalmente descarregada pode derrubar a voltagem a um nível muito abaixo da tolerância mínima da bateria. Se isso ocorrer, a bateria pode ficar presa em um estado em que não consegue mais ser carregada porque o circuito de proteção simplesmente não consegue mais reativar a bateria.

Em aparelhos mais modernos o circuito pode eventualmente “despertar” e reiniciar a carga da bateria. Por este motivo alguns ipods Classic excessivamente descarregados “voltam à vida” depois de deixados 10/20 minutos conectados no carregador.

Da mesma forma o aparelho não deve ser guardado com carga total na bateria. Isto acontece porque pela própria natureza da bateria Li-ion, ela se degrada mais quando totalmente carregada. Se armazenada desta forma (leia-se por semanas, meses), a capacidade de carga total da bateria pode se reduzir.
A forma ideal de se guardar uma bateria de íons de lítio é carregá-lá até cerca de 40/50% de seu total e armazenar em algum lugar fresco e arejado. Este é o motivo pelo qual aparelhos com bateria freqüentemente vêm com cerca de 30 a 40% de carga.

Mito 5: carregadores genéricos ou veiculares danificam o aparelho.

R: Depende do fabricante.

Existem muitos fabricantes conhecidos, com boa reputação no mercado (como Kensington, DLO, Griffin) que produzem carregadores confiáveis. Por outro lado existem carregadores genéricos que nem marca têm — estes sim são mais problemáticos.

Um carregador pode apresentar dois problemas: ou a voltagem entregue é maior que a especificada (que pode danificar o circuito de carga) ou excessivamente baixa (que pode não carregar a bateria apropriadamente). Para entender (e simplificando talvez em demasia), uma carga apropriada de bateria consiste em duas fases: a carga rápida e a saturação.

A carga rápida carrega a bateria a cerca de 80% de sua capacidade em cerca de 2 horas ou menos. Na verdade o indicador da bateria pode até indicar 100% de carga, mas isso pode não ser exato. Esta discrepância acontece por causa do nível de entropia na transferência dos íons entre cátodos e ânodos da bateria.

Após esta carga inicial, o processo fica mais lento, e pode levar mais 2 horas para completar os 20% restantes. Normalmente este último período mais lento é chamado de saturação, e permite à bateria estabilizar a carga recebida. Por este motivo a bateria pode de fato durar menos se removida do carregador no momento que indicar 100% de carga porque isso é só uma estimativa. Ao fazer isso, na prática a bateria pode ter somente 80/85% de carga útil porque o aparelho não permaneceu conectado para receber a carga de saturação.

Este também constitui o motivo de alguns carregadores parecerem “subcarregar” a bateria. Seja por falta de qualidade ou propositadamente, alguns destes carregadores apresentam uma corrente mais alta que o carregador original. Isto acelera a carga inicial, mas torna o estágio de saturação mais lento ou até mesmo inexistente. Por isso a carga de alguns destes carregadores genéricos parece esgotar mais rápido: sem a carga de saturação, a bateria só contém 70-80% da carga (apesar de indicar 100%).

Este tipo de comportamento também pode se apresentar quando o aparelho é carregado em uma porta USB de um microcomputador PC (Macs não padecem deste problema). Algumas vezes a voltagem entregue pela porta USB é ligeiramente inferior à especificada — coisa muito comum nas portas USB frontais denuma torre de computador Desktop. Isso provoca o mesmo efeito: dá a carga de 70/80% inicial, mas não dá a carga de saturação. Novamente o aparelho pode erroneamente indicar 100% de carga, tendo somente 70/80% de carga.

Porém ao contrário do que se espera, subcarregar não faz mal à bateria. Pelo contrário: baterias de íons de lítio se degradam mais rápido quando carregadas totalmente (lembram-se do Mito 4 acima?) Portanto a longo prazo, se a bateria sempre puder ser carregada apenas parcialmente (sem a carga de saturação), aumenta a vida útil da bateria.

Mito 6: carregar o iPhone com carregador do iPad pode queimar o aparelho. O iPad não carrega com o carregador do iPhone.
R: Também incorreto.

A maior prova disso está na própria Apple Store. Se procurarmos o carregador de 10w iPad, veremos que ele é indicado como “compatível com o iPhone 4 e ipads 1 e 2”. O que muda é o tempo de carga. O iPad carregará mais lentamente no carregador do iPhone e vice-versa. O iPhone também carregará mais lentamente no carregador do iPad por causa da questão da carga de saturação. Ele indicará 100% mais rápido, mas pode demorar mais para atingir os 100% de eficácia.

Como nota pessoal, falo isso empiricamente. Tenho um iPhone 2G, um 3G, um 3Gs, um iPad 1, um iPhone 4 e um iPod Classic. Todos foram conectados em ambos carregadores e em 2 anos nunca houve um problema sequer. Porém não custa tomar algumas providências: a voltagem do carregador do iPad é 0,1V acima do carregador do iPhone. Isto deixa uma margem de tolerância mais baixa de oscilação da voltagem. Para contornar isso, meus carregadores sempre estiveram plugados em um filtro de linha, e este plugados em um estabilizador de voltagem.

Em conclusão: não adianta ficar obcecado com os rituais de carga e descarga do iPhone. Exatamente como os computadores Macintosh, os iphones, ipads e ipods foram desenhados para se adaptarem ao seu modo de vida, e não o contrário. Tudo que você precisa fazer é cuidar da temperatura, manter o aparelho limpo e de preferência mantê-lo longe da piscina.

Anúncios
Comments
56 Responses to “Bateria: Fatos e Mitos”
  1. Gustavo disse:

    Excelente artigo. Respostas respondidas a fundo, fugindo do senso comum!..

  2. Carwagner disse:

    Muito claro e informativo o texto
    Grato pelo empenho

  3. Francisco Baptista disse:

    Perfeito o artigo. Parabens.

  4. Wagner Mello disse:

    Excelente o post parabens

    • Wagner Mello disse:

      Meu iphone atraves do batteryinfo indica:

      Carga nominal 1200mh
      Carga max 972mh
      Ciclo 602
      Iph3gs comprado no lançamento, ainda dura o dia kkk

      Abs

  5. Beto disse:

    Obrigado, muito esclarecedor.

  6. Marcelo disse:

    Uowww, Putz, imprimir isso e entregar na TIM, ficou show.
    Parabéns

  7. Jonas disse:

    Gostei muito, parabéns. Algumas coisas já tinha lido no site da Apple, mas não tão detalhado.

  8. Wilson disse:

    Excelente! Muito obrigado pela aula sobre o tema. Se eu tinha dúvidas sobre baterias nos iTrecos, agora elas sumiram.

  9. Bruno Occenstein disse:

    Muito bom artigo!! Parabéns e obrigado

  10. Eribaldo disse:

    Tenho um iPhone 3GS 16 Gb, ele tá com a bateria descarregando sempre na casa dos 80%. Como faço para fazê-la render mais? Será preciso trocar por uma nova?

  11. olano disse:

    Muito bom artigo!! Parabéns e obrigado, ajudo muito vlw

  12. Arthur disse:

    Parabéns, muito bom!!

  13. Thiago disse:

    Me desculpe ter usado essa área para uma pergunta,mas realmente estou com essa dúvida:
    Todos esses artigos sobre cuidados com os aparelhos e as baterias,também servem para notebooks???

  14. Thiago disse:

    Ah!
    Site muito bom,com artigos esclarecedores!!!
    Parabéns!!!

  15. celius1 disse:

    Parabéns, bem esclarecedor, bem detalhado, ótima explicação, não ficou nenhuma duvida.

  16. celius1 disse:

    Excelente explanação, se tinha duvida esse artigo tratou de forma definitiva.

  17. telmo disse:

    Me responda por favor.quando a bateria do meu iphone chegar ao 100% ele para de receber carga

    • ddbddbddb disse:

      Depende. A indicação na tela de 100% não é exata. Após umas 2h de carga o indicador pode apontar 100%, no entanto isto só significa que o estágio de carga simples terminou – o que na pratica corresponde a uns 80% da carga total. As 2h seguintes seriam a fase de “saturação” – período em que a bateria completa os 20% restantes e “estabiliza” a carga para garantir o desempenho máximo da bateria.
      Ainda assim, se sua preocupação é a sobrecarga, relaxe. A bateria tem um circuito interno (independente do iPhone) que corta a alimentação de energia uma vez que o período de saturação se cOmplete

  18. Reblogged this on Vivendo e Aprendendoe comentado:
    Mitos sobre o carregamento dos produtos da Apple!

  19. Muito bom o artigo, parabéns.

  20. Gabriel disse:

    Eu atualizei meu iphone para versao 5.1.1 isso danifica algo na bateria?

  21. Jonatha disse:

    Muito bom o artigo muito bem explicado, essas dicas também podem ser usadas para o galaxy tabela plus 7.0 ?

    • ddbddbddb disse:

      De modo geral, sim. O comportamento é similar para qualquer bateria de tecnologia igual (Li-Ion). Porém cada fabricante de celular pode ter exigências diferentes para os fabricantes de componentes originais (OEM). Mesmo assim, a diferença não deve ser muito grande – talvez na quantidade de ciclos e vida útil da bateria – uma vez que em geral as baterias de aparelhos Samsung são bem mais fáceis de se substituir.

  22. Mari disse:

    Parabéns pelo artigo. Muito esclarecedor!!! Será que poderia me ajudar com uma dúvida? Comprei um iphone 4s há um mês. Nas primeiras cargas demorou cerca de 2h e pouco para carregar. Na última semana esse tempo aumentou demais. Na antepenúltima vez que carreguei, ele precisou de 4h na tomada; na penúltima 8h e na última quase 12 horas!!! Será que o problema é no carregador? Durante todo o tempo fica aparecendo o desenho da pilha em verde na tela inicial(como se indicasse que está carregando), mas não sei se está carregando durante todo o tempo? Todas as vezes deixei o nível chegar a 1 ou 2% para conectá-lo à tomada. O que pode ser o problema. Muitíssimo obrigada. e parabéns pelo blog.

    • ddbddbddb disse:

      Marina:
      Primeiro – não é necessário aguardar a bateria chegar a 1%/2% para carregá-lo. Vc pode carregar quando e quantas vezes vc quiser
      Segundo – Esse comportamento de carga não é normal. Todo iPhone (com carregador original de parede) tem que carregar entre 2-4h. O problema pode ser no carregador, no cabo ou na bateria. Quanto ao indicador, ele mostra que o aparelho está reconhecendo o carregador e está aceitando carga. O andamento da carga só se dá pelo percentual mostrado no topo da tela, à direita. Se vc não vê o percentual de cara da bateria, ative a função em Ajustes>Geral>Uso>Nível da Bateria. Isso ajudará a acompanhar melhor a carga.
      De qualquer modo se o comportamento é este, eu acionaria a garantia.

  23. E. Lamas disse:

    Muito bom artigo! Esclareceu as minhas dúvidas em pleno! Obrigado!
    Cumprimentos,

  24. Felipe disse:

    Parabens pelo artigo!! Totalmente esclarecedor!

  25. Eliane disse:

    OI, muito bom seu artigo, mas ainda tenho algumas dúvidas;gostaria de saber se tem problema carrega o iphone 5 com o aparelho ainda ligado e usa-lo durante o carregamento? E se tem algum problema eu interromper o carregamento e volta a carregar alguns minutos ou horas depois? Aguardo resposta.Desde já obrigado

    • ddbddbddb disse:

      Não tem problema não. O chip da bateria e o sistema operacional do iPhone saberão gerenciar o fluxo de carga. Fora isso basta seguir as recomendações sobre temperatura e ciclos.
      Qualquer coisa é só avisar.
      Abs!

      • Eliane disse:

        Muito obrigada por responder, já pesquisei em vários sites para saber se tinha problema carrega ligado; usa em quanto carrega e interromper o carregamento e não achava resposta; mas agora fico tranquila já que vc disse que nenhuma dessas coisas que falei ai dão qualquer problema!
        Não sei se entendi muito bem a respeito dos ciclos, mas estou deixando pra carrega quando já tá uns 8%..4%..ou menos de bateria td bm?!
        Não querendo abusa, mas já abusando gostaria de saber se vc sabe me responder a respeito de ipod tb? ou não?
        Desde já obrigado! Aguardo resposta.

  26. LARI disse:

    preciso muiro de ajuda! comprei um iphone 4 ontem, mas como sou afobada, nem carreguei quando cheguei em casa: gastei os 65% de bateria que vieram nele. Depois, fiquei usando ele conectado no carregador. Só que a bateria esta acabando absurdamente rapido: são uns 5 ou 7 % indo embora em 1 hora!!!!! Será que deveria deixar ele carregar todo por um tempo e meu problemase resolveria, ou minha bateria tá com problema?

    ps: quando vou em geral > uso e vejo aquilo da bateria: (uso e em espera), ambos aparecer 0min! Seria por que não deixei ele carregar sem eu estar mexendo, portanto teoricamente n tive a primeira caga total, ou, como ja disse, a bateria ta com defeito?

    OBG!

    • ddbddbddb disse:

      Lari:
      Primeiro: gastar os 65% não tem problema. A bateria pode ser carregada quando você quiser, sem maiores problemas.
      Segundo: Usando ele conectado no carregador não tem problema – Só que a bateria não deveria estar diminuindo assim conectado no carregador – a menos que você esteja fazendo um uso extra intenso do aparelho.
      Terceiro – Não é má idéia deixar o aparelho carregar inteiramente. Deixe-o conectado a noite, enquanto você dorme.
      Abs
      Eduardo

  27. Eliane disse:

    Muito obrigada por responder, já pesquisei em vários sites para saber se tinha problema carrega ligado; usa em quanto carrega e interromper o carregamento e não achava resposta; mas agora fico tranquila já que vc disse que nenhuma dessas coisas que falei ai dão qualquer problema!
    Não sei se entendi muito bem a respeito dos ciclos, mas estou deixando pra carrega quando já tá uns 8%..4%..ou menos de bateria td bm?!
    Não querendo abusa, mas já abusando gostaria de saber se vc sabe me responder a respeito de ipod tb? ou não?
    Desde já obrigado! Aguardo resposta.

    • ddbddbddb disse:

      Nem precisa esperar tanto para carregar. Tenho um iPhone 2G de 2007 que sempre carreguei quando me dava na telha. Ele começou a apresentar desgaste de bateria somente ano passado.
      Sobre iPod, depende. Se for Touch, é basicamente igual ao iPhone – só que sem o telefone.

  28. Eliane disse:

    Desculpa o incomodo, mas tenho mas uma dúvida além dessa ai que acabei de fala. Eu estava baixando 2 aplicativos através do 3G, e quando eu reparei ele tava quente de imediato já cancelei os aplicativos, já baixei app por wi-fi e não esquentou assim..quando vc diz que esse calor tem que dissipar eficientemente do aparelho é voltar ao normal em alguns minutos? Um tempo depois coloquei para carregar deu uma esquentadinha no ínio mas logo passou mas nd comparado quando baixei o aplicativo pelo 3G, vc acha que pode ter tido algum dano? Eh melhor baixar através de w-fi do que 3G que me pareceu forçar mais o aparelho não sei..
    Aguardo resposta, desde já obrigado!

    • ddbddbddb disse:

      3G esquenta mesmo – porém você pode usá-lo por períodos mais longos sem maiores problemas (50-60 minutos por exemplo). Desaconselho usá-lo por mais tempo que isso porque aí sim eu considero forçar o chip. Se você tem a opção de download por wi-fi, com certeza é melhor.

  29. Eliane disse:

    Olá, estou aguardando sua resposta, e enquanto isso já tenho uma nova dúvida..rs.
    É normal o iphone descarregar mesmo quando vc não está usando? quando ele está com a tela bloqueada..de tarde meu iphone estava com 58% de bateria e agora a noite está com 53% eu não fiz nada com ele hj, o máximo que fiz foi aperta o botão do meio para ver se tinha alguma notificação..Já desativei várias coisas, até a que manda informação para apple para ter melhoras (diagnostico de uso)
    Aguardo resposta, desde já obrigado!

    • ddbddbddb disse:

      Sim, é normal. Um aparelho em standby não é um aparelho desligado. Você pode inibir isso desativando funções como você mesma disse. Porém certas funções consomem mais ou menos bateria. Os maiores vilões são: Push, Notificações, GPS, Internet celular, Serviços de Localização.

  30. Lucas Paschoal disse:

    muito bom! ESCREVA MAIS SOBRE PRODUTOS apple…Obrigado pelas dicas!

  31. Fabio Varga disse:

    Amigo, Adorei a sua auto-didata e explicação sobre a bateria. Muito bom, parabéns. Tenho uma dúvida cruel:
    Tenho iPhone, iPad e macBook e uma vez por mês dou aquela carga full, ou seja, deixo descarregar por completo e depois carrego até os 100%. É valido e aconselhável?
    As vezes também nessa carga eu deixo 7 hrs carregando mesmo estando 100%, pois um blog sobre cargas de iPad e macBook Pró dizia isso, por acaso é valido isso também?
    Muito Obrigado,
    Fabio

  32. Moacyr Reis disse:

    Bela aula para quem comprou seu primeiro Iphone. Muito obrigado !

  33. Muito bom, este artigo. Totalmente esclarecedor, claro, muito bem escrito. Parabéns!

  34. Carol disse:

    Parabéns pelo artigo, muito bom!! Eu não entendi muito bem uma parte, não devo deixar ele carregar ate o final? Posso tirar da tomada, por exemplo, com 60% ou por pra carregar com 70% sem causar danos futuros na bateria? Obrigada!!

  35. Luna disse:

    Olá!
    Comprei um Ipad 2 (hj!) e ele não ligou, imagino que tenha vindo sem bateria (tá carregando até agora. rs). É normal?
    Outra: usar ele direto na tomada é mais ‘saudável’ do que deixar completar os ciclos? (acho que esse tópico poderia entrar como mais um mito.)
    Obrigada pelo artigo e pela paciência!

  36. Maicon Godoy disse:

    Exelente artigo,mas descordo de algumas afirmacoes como a que o 3G interfere no sinal negativamente ! Ao contrario de como vc disse,se meu sinal esta a 2 barrinhas,e ligo o 3G ele sobe pra 5 ! O 3G auxilia na conexao com a rede.abracos

  37. Amigo realmente excelente sua postagem, nunca vi nada igual vou salvar a pagina no meu iPhone 4s pra quando tiver tempo ler com mais calma, muito obg pela ajuda…. So tenho uma duvida, meu iPhone chega noite com uma carga de 70% mais antes de dormir quero recuperar esses 30% posso colocar no carregador?

  38. Renan Barini disse:

    Me ajudem!

    Amigos Iphônicos, adquiri a 3 semanas o meu iphone 4.

    Segui as dicas da apple sobre carga e recarga, e minha bateria nao estabiliza.

    Fiz a restauração pelos ajustes e outra pelo Itunes e não notei melhoras.

    Em média, após uma carga completa (toda a noite) a bateria dura uma média de 4 horas. Uso apenas para mensagens e emails (push desativado). Não uso facebook, instagram e faço poucas ligações. O que fazer? Apelar para a troca? Restaurar sem backup ?

    Desde já agradeço.

    Renan Barini

    • ddbddbddb disse:

      Prezado Renan
      Uma pergunta: você comprou o aparelho usado ou novo? Esse tipo de duração (4h) é MUITO abaixo do pior desempenho possível do aparelho. Se for usado, a bateria do aparelho pode precisar ser substituída. Se for novo, eu acionaria a garantia.
      Sem duvida restaurar sem voltar backup pode ajudar. Mas francamente, para um aparelho ter esse tipo de desempenho so se estiver com um GPS constantemente ligado ou o 3G constantemente baixando dados.
      Um abs
      Eduardo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: